Quando procurar um Reumatologista?

O diagnóstico precoce é a chave para o melhor tratamento.

Se você reconhece esses sinais abaixo, procure um Reumatologista e agende uma consulta. Não deixe para amanha. Sua saúde e de sua família em primeiro lugar.

 

Sinais que sugerem a necessidade da avaliação de um reumatologista
  • Dores nas articulações, dos membros ou da coluna/bacia, com ou sem edema (inchaço) ou aumento na temperatura do local, deformidades ou crepitações (rangidos à movimentação), ou ainda rigidez (travamentos) – a dor pode ser de natureza mecânica (ao movimento) ou inflamatória (piora ao repouso e melhora com a movimentação/aquecimento do corpo);
  • dores difusas pelo corpo, com ou sem alterações emocionais ou do sono;
  • dores musculares, com ou sem fraqueza muscular ou lesões de pele, sobretudo em pálpebras e mãos;
  • espessamento da pele com ou sem coceira, arroxeamento das pontas dos dedos sobretudo à exposição ao frio, manchas avermelhadas no rosto e/ou membros, afinamento dos lábios, queda de cabelos, engasgos e refluxo, ou cansaço incomum aos esforços;
  • manchas vermelhas nas bochechas ou vermelhidão no rosto e pescoço piores à exposição ao sol, feridas no céu-da-boca, febre, espuma na urina, convulsões, dificuldade respiratória;
  • história de doença reumática / reumatismo na família;
  • inflamações nos tendões (tendinites) ou suas inserções próximas dos ossos (“ênteses” – sua inflamação leva às “entesites”, como por exemplo: inchaço, vermelhidão e calor nos calcanhares / tendão de Aquiles = entesite aquileana), inflamações oculares diagnosticadas pelo oftalmologista como “uveíte”;
  • paciente portador de psoríase (doença dermatológica) que apresentar dores articulares (membros ou coluna/bacia) ou inflamações nos tendões ou ênteses;
  • paciente portador de doença inflamatória intestinal (Doença de Crohn ou Retocolite ulcerativa) que apresentar dores articulares (membros ou coluna/bacia) ou inflamações nos tendões ou ênteses;
  • olhos e bocas secos, em associação ou não a dores articulares e alterações pulmonares;
  • asma ou sinusite com início no adulto, com diagnóstico pelo otorrinolaringologista de pólipos nasais, escarro com sangue, dificuldade respiratória, nódulos pulmonares ou “vasculite”;
  • alterações pulmonares como vidro-fosco, alterações intersticiais ou fibrose pulmonar, vistas ao exame de Raio-X ou à tomografia computadorizada, ou ainda hipertensão arterial pulmonar (ou apenas “hipertensão pulmonar”) vista ao ecocardiograma, que apresentem características incomuns, sugestivas de associação com alguma doença do colágeno.
    gota, com níveis persistentemente elevados de ácido úrico e grandes nódulos nas articulações (tofos);
  • tromboses repetidas, tromboembolismo pulmonar ou outro evento tromboembólico sem explicação, ou ainda ou abortamentos repetidos;
  • fraturas que ocorreram por trauma leve, não justificadas pela pancada, sobretudo em mulheres após a menopausa, brancas com baixa exposição ao sol, ou sinais indiretos de osteoporose (geralmente ao exame de Raio-X);
  • ou ainda desejo de prevenir a osteoporose;

 

Seguimento regular para as doenças:

Artrite reumatóide, osteoartrite/artrose, osteopenia/osteoporose, espondilite anquilosante, artrite psoriásica, artropatia enteropática, artrite reativa/Síndrome de Reiter, artrites infecciosas, fibromialgia, tendinites, bursites, Síndrome do túnel do carpo, DORT/LER, polimiosite, dermatomiosite, outras miopatias, esclerose sistêmica ou localizada, Raynaud, lúpus, Síndrome anti-fosfolípide (SAF), gota, vasculites (Granulomatose de Wegener, Arterite de Takayasu, Síndrome de Sjögren, Doença de Behçet, Arterite Temporal ou de células gigantes, Poliarterite nodosa, Poliangeíte Microscópica, Churg-Strauss, vasculite crioglobulinêmica relacionada ou não à hepatite C).